As Aventuras de Sherlock Holmes

sherlock holmesTítulo: As aventuras de Sherlock Holmes
Autor: Arthur Conan Doyle
Tradução: Maria Luiza X. de A. Borges
Editora: Zahar (edição bolso de luxo)
Páginas: 413
ISBN: 978-85-378-0725-5

“As Aventuras de Sherlock Holmes” é uma compilação de clássicas histórias da literatura policial. Talvez Holmes seja o investigador mais famoso do mundo, fonte inspiradora de uma série de outros personagens e histórias.

Os contos são narrados por Watson, que, apesar de ser médico, parece se dedicar muito mais às aventuras com seu amigo Sherlock do que propriamente à medicina. Eu sempre me indagava se enquanto Watson acompanha Holmes, várias pessoas morrem por falta de cuidados médicos… E, diga-se de passagem, Watson tem a esposa mais compreensiva do mundo, Mary, que estranhamente não reclama da ausência de seu marido em casa.

mary watson

Sherlock Holmes é um investigador excêntrico, normalmente sherlock2contratado por clientes para resolver casos que, à primeira vista, pareciam sem solução. Sua capacidade de dedução transcende a normalidade. Muitas vezes Holmes consegue decifrar o caso enquanto ouve a narrativa da pessoa que busca sua ajuda. E, ainda por cima, é um mestre do disfarce (em uma das histórias, o detetive se disfarça de um mendigo bêbado para obter informações sobre o caso, é bastante cômico).

Na verdade, as melhores partes do livro são sem dúvida os finais de cada conto, quando Sherlock revela a forma como conseguiu chegar a uma explicação racional para os acontecimentos mais bizarros. Enquanto isso, Watson – reles mortal! – fica fascinado e não entende como não foi capaz de chegar à mesma conclusão de Holmes.

As histórias vão sempre seguir este mesmo enredo; por este motivo, no começo a leitura se mostra muito rápida e divertida, mas depois da metade do livro já começa a cansar. Tenho que lembrar que esta edição que li é composta por 12 contos, totalizando mais de 400 páginas, algo que aumenta o cansaço do leitor.

Porém, o ponto forte deste livro é que sua leitura é muito prazerosa e de rápida fluidez. As histórias têm de 30 a 40 páginas, de modo que se você tem pouco tempo para ler no seu dia a dia, pode devorar uma historinha em menos de uma hora. E você pode lê-lo sem interromper uma outra leitura que eventualmente esteja fazendo. Eu li alguns livros inteiros enquanto Sherlock Holmes estava no meu criado mudo.

Então é isso, recomendo a leitura!

Curiosidades…

elementar meu caro watson

Após terminar de ler este livro eu percebi que não me deparei em nenhum momento com a famosa frase “Elementar meu caro Watson”, supostamente dita por Sherlock Holmes.

Já havia sido alertado pela minha namorada que isto ocorreria. Mas, mesmo assim, no maior espírito Sherlock, decidi investigar o mistério…na internet.

Descobri, após rápida pesquisa, que Holmes nunca disse estas palavras. Na verdade, esta frase jamais foi escrita por Sir Arthur Conan Doyle.

De acordo com a revista Obvious, “A famosa frase: ‘Elementar, meu caro Watson’, na verdade, nunca foi dita por Holmes. Foi o ator e diretor William Gillette (1853-1937) que a difundiu quando interpretou o detetive em peça homônima, em 1989 [na verdade, a data correta é 1889; acredito que o site em que busquei a informação cometeu um pequeno equívoco].”.

Segundo informações tiradas do Wikipedia, “Muito embora alguns aleguem que se trate de uma das primeiras falas do personagem em seu romance de estreia Um Estudo em Vermelho (1887), ela não se encontra no original nem em outras traduções do texto. No resto de toda a obra, a frase não torna a acontecer, aí sim tendo sido popularizada pelas adaptações das aventuras.”.

Então, mistério resolvido pelo detetive Sherlock Google! Elementar, meu caro leitor!

Outra informação interessante é que existe, de fato, o apartamento onde Sherlock Holmes residia nas histórias. Localiza-se em Londres, Baker Street, nº 221B. Atualmente funciona como museu dedicado ao icônico detetive.
Inclusive, se você colocar o endereço “Baker Street, 221b, Londres, Reino Unido” no google maps, encontrará o Sherlock Holmes Museum.

Veja as imagens abaixo.

Sherlock_Holmes_Museum

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Fontes:
http://obviousmag.org/archives/2010/04/breve_historia_sobre_sherlock_holmes.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Sherlock_Holmes

Anúncios

2 Comments

  1. Ri muito com o seu comentário sobre os pacientes de Watson, nunca tinha pensado nisso, kkkkk. Mas você precisa consertar uma coisa, William Gillette deve ter dito a famosa frase em 1889 e não em 1989 como você colocou.

    Responder

Deixe um Comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s