Xadrez de Austen e Puberdade

Ok gente, este post é um pouquinho diferente. Acabei de ler Persuasão e antes dele já tinha lido a Abadia de Northanger, ambos escritos por Jane Austen e, dadas as características que reinam na escrita dessa autora, concluí que não será necessário fazer uma resenha para cada um dos livros.

                 austenpersuasao-(edicao-de-bolso)
Aliás, nessa postagem não vou falar apenas desses dois livros. Vou falar de Jane Austen e acho que será mais produtivo.
Então, vamos lá…
Jane Austen, Jane Austen.
Apesar de todos os adjetivos positivos a ela atribuídos é preciso admitir que ela parece estar sempre falando da mesma coisa em todos os seus romances.
Na verdade, ainda não li todos os seus romances publicados (6 no total), mas dos quatro que já li (porque sempre dou mais uma chance) posso concluir que o leitor sempre vai encontrar uma jovem de família simples que, ignorada por seus parentes, não é lá tão bonita, mas é inteligente e espirituosa; um jovem rico que apesar de todos os estigmas sociais se apaixona pela heroína; um nobre orgulhoso para interferir e uma amiga ou senhora desmiolada. Ah, e sempre tem um jovem charlatão também, que tenta se casar com a heroína seja por dinheiro ou por um título de nobreza. Continue reading →

Não se desespere: provocações filosóficas – Mario Sergio Cortella

não se desespere - mario sergio cortellaTítulo: Não se Desespere: provocações filosóficas
Autor: Mario Sergio Cortella
Editora: Vozes
Páginas: 140
ISBN: 978-85-326-4502-9

Mario Sergio Cortella é um filósofo brasileiro com quem temos muito o que aprender. Eu já tinha ouvido falar deste magnífico sujeito, mas só ano passado resolvi assistir a alguns vídeos de suas palestras. O resultado foi muito empolgante. O cara é um gênio. Com palavras simples, muita sabedoria e um toque de humor (inteligente!), Mario Sergio cativa o ouvinte com facilidade e o leva a pensar – ou, se preferir, filosofar…

penso, existo, e dou umas risdas também

Investi, então, no livro que passo a resenhar.

“Não se desespere! Provocações filosóficas”. Um título bastante chamativo (a capa também: é amarela, com um baita ponto de exclamação. Dá pra ver de longe!!!).

Cada capítulo traz uma pequena lição; são alguns ensinamentos que nos fazem refletir sobre diversos assuntos e temas envolvidos com o cotidiano. A proposta do livro, então, é nos fazer pensar para evoluir.

Aliás, esta é uma das lições mais importantes que extraio do livro: pensar (discutir, argumentar, filosofar) nos leva adiante. Viver no “piloto automático”, fazer sempre as mesmas coisas e não reciclar as ideias significa ficar estagnado, não evoluir. Por isso, converse, discuta, argumente. E não dê tanto crédito a quem só concorda com você; esta pessoa não está interessada em lhe ajudar a andar para frente.

Este é só um exemplo de lição que traduzi aqui por que achei interessante. Devo dizer que desde que comecei a ler o livro, quis separar três ensinamentos legais para compartilhar no blog. Não consegui. Eu sublinhei vinte e seis passagens importantes.

Pois é. E acredite em mim quando digo que fui muito seletivo, por que tinha mais coisas bacanas pra trazer pro leitor. Vou deixar algumas outras frases para o final deste texto, porque gostaria de compartilhar um pouco das palavras deste ótimo filósofo brasileiro. Continue reading →

O Poderoso Chefão – Mário Puzzo

capa - thegodfatherLivro: O Poderoso Chefão
Autor: Mário Puzzo
Tradução: Carlos Nayfeld
Editora: BestBolso
Páginas: 655
ISBN: 9788577990191

O Poderoso Chefão é um ótimo livro. Claramente um clássico da literatura contemporânea.

Acho que nada do que eu diga aqui conseguirá demonstrar o quanto o livro é bom.

Sério.

Em O Poderoso Chefão (The Godfather, em inglês) o submundo da Máfia nos é apresentado em toda a sua glória. Da sutileza de Don Corleone nas negociações à sangrenta guerra entre as famílias mafiosas pelo poder, a história é cativante e os personagens são mais cativantes ainda.

A trama basicamente gira em torno de Michael Corleone, o mais novo dos quatro filhos de Don Vito Corleone, que, a princípio não quer fazer parte dos negócios da família, mas logo se vê envolvido quando uma negociação mal sucedida – envolvendo o início do tráfico de drogas – culmina na tentativa de assassinato de seu pai.

        michaelcorleone

Continue reading →