A Elegância do Ouriço

12538 - Elegancia do ourico
Título original: L’ ELÉGANCE DU HÉRISSON
Autor: Muriel Barbery
Tradução:Rosa Freire d’Aguiar
Páginas: 352
ISBN: 9788535911770
Selo: Companhia das Letras

A Elegância do Ouriço é um daqueles livros diferentes. Carrega em si uma atmosfera íntima. Compartilha conosco, de maneira fluída e singela, reflexões profunda e universais, que afloram das mentes dos personagens mais inusitados.

A narrativa se passa no número 7 da Rue de Grenelle (em Paris), um endereço chique onde os moradores são gente rica e tradicional.

Cada um tem suas manias e trejeitos e age conforme o que deles se espera.

Mas a Elegância do Ouriço está aí para demonstrar que nem tudo é o que parece.

img_comment_s_occuper_d_un_herisson_7861_300

Por trás dessa fachada requintada esconde-se o medíocre e o nobre, nem sempre no lugar em que se espera encontrá-los.

A história envolve três personagens principais. Primeiro Reneé, a zeladora do prédio. Uma senhora de meia idade, baixinha, feinha, e com cara de mal-humorada. Depois temos Paloma, uma menina de família rica de 12 anos de idade que planeja suicidar-se no seu aniversário se até lá não descobrir o sentido da vida. Por fim, temos um novo morador que chega ao número 7 da Rue de Grenelle, o Sr. Kakuro Ozu.

Um certo dia Paloma vai, a pedido de sua irma ou mãe (não me lembro), falar com a zeladora Renée. Paloma reconhece em Renée uma erudição que passa despercebida pelos demais moradores. Renée se esforça para esconder esse seu lado apaixonado pela literatura e pela arte, mas não tem como escapar do olhar astuto de Paloma. Daí surge uma amizade quase secreta…

ouric3a7os

Depois, como já foi dito, aparece o Senhor Kakuro, um novo morador, que está reformando seu apartamento para se mudar, que também acaba por conhecer Renée e perceber que há nela mais do que demonstram as aparências.

Com toda essa agitação em sua vida Renée renasce, e luta contra a dualidade de seus sentimentos.

De um lado a consciência de ser feia, inadequada, pobre e sem atributos. De outro lado, o sonho de pertencer a boa vida, de transitar entre o circulo das pessoas ricas (e estúpidas) que a cercam.

A possibilidade de encontra o amor e a cumplicidade, mesmo que tardiamente na vida…é reconfortante e animadora.

Renée ama e odeia, se conforma e se rebela. Testemunhar essa luta interna é revigorante para o leitor.

E tem também o suspense de saber se Paloma vai ou não encontrar o sentido da vida ou vai acabar explodindo o apartamento da família, como vem planejando.

Por fim, temos o desfecho dessas duas histórias. Renée encontra o amor? Paloma encontra o sentido da vida?

hedgehog-le-herisson-81-e1278296872839-700x372

Leia você também e tire suas próprias conclusões!

Em Busca de Um Final Feliz – Katherine Boo

EM_BUSCA_DE_UM_FINAL_FELIZ_1365208210P

Título: Em Busca de Um Final Feliz

Autor: Katherine Boo

Editora: Novo Conceito

ISBN: 9788581630328

Páginas: 288

Em Busca de um Final Feliz é o título adaptado para o português de Behind the Beatiful Forevers, escrito por Katherine Boo, jornalista americana casada com um indiano.

Apesar de eu compreender a necessidade de adaptar o título do livro para o português, achei que a tradução acabou ofuscando o ponto alto da reflexão que Boo propõe.

Behind the Beatiful Forevers quer dizer algo como “por trás da bela ideia de vida eterna”, fazendo alusão à crença hindu de Karma e reencarnação. Boo pretende nos mostrar o que há por trás da nossa visão pré-concebida e idealizada do que seria a Índia e seu povo.

Ao mesmo tempo, em sua narrativa questiona o verdadeiro propósito da filosofia que tanto associamos aos indianos (de que você sofre em uma vida pelos erros da vida passada, até que seu espírito aprenda alguma sabedoria e ascenda na cadeia Kármica a uma posição mais confortável).

A história é contada em forma de romance, embora seja oriunda de fatos reais observados in loco pela própria jornalista, que viveu e conviveu durante um ano na comunidade de Anawandi – uma favela que se desenvolveu atrás de um moderníssimo aeroporto de Mumbai (aliás, foram os operários que construíram junto com suas famílias que deram origem a Anawandi).

boo in mumbai

É como se as pessoas (reais) afetadas pelos eventos que se sucedem na narrativa fossem apenas personagens. São representantes das classes mais desfavorecidas, que lutam diariamente pela própria sobrevivência e a de suas famílias.

Pessoas normais, como eu e você, que tiveram a infelicidade de, num mundo cada vez mais capitalista, nascer em famílias pobres, miseráveis (karma?).

Vivem a margem, sem qualquer perspectiva de ascensão.

54824b684ecca_-_mcx-slumdog-0212-2-xl

Mas mantém viva a esperança.

Alguns acreditam que, com trabalho árduo podem conseguir juntar algum dinheiro e mudar-se com suas famílias para o campo, onde a vida seria mais saudável.

Outros sonham com o sucesso.

Muitos se perdem pelo caminho, no vício em drogas. Enquanto alguns buscam apenas meios de arranjar um prato de comida para o dia.

Outros ainda veem na corrupção sua passagem para a ascensão social.

De fato, pelos relatos de Boo, na Índia, a corrupção não é apenas um mal endêmico, é também um meio de vida.

Muitas das realidades retratadas apresentam grande semelhança com o que acontece no Brasil. Resguardadas as proporções e, é claro, as diferenças culturais de cada nação.

Em todo caso, devido as tristes circunstâncias que a jornalista testemunhou, é possível ver de relance como funciona a polícia local e os tribunais de justiça.

Corrupção, violência e indiferença são as três palavras que me vem a mente para descrever esse sistema de (in)justiça e desumanidade.

E no meio disso tudo, Anawandi e seus habitantes.

27slide3

Outras Informações

Se você se interessou pela obra e sabe ler em inglês, sugiro o site dedicado ao livro e principalmente a seção de perguntas e respostas a autora. Achei bem inspirador. (http://www.behindthebeautifulforevers.com/qa-with-katherine/)

mumbai_slum_book_543

Katherine Boo é jornalista ganhadora do prêmio Pulitzer, um dos mais famosos e respeitados do jornalismo americano.

Por que Katherine Boo ganhou o Pulitzer Prize?

Ela ganhou esse prêmio na indicação de Public Service (algo como Serviço Cívico) por denunciar através de reportagem publicada no Washington Post as condições precárias de negligência e abuso que ocorriam nos lares para os deficientes mentais da cidade, forçando as autoridades a reconhecer tais condições e implementar reformas. Ela foi premaida no ano de 2000, antes de escrever seu primeiro livro, Em Busca de um Final Feliz (aqui resenhado).

Fonte: http://www.pulitzer.org/citation/2000-Public-Service

Adeus 2014, Olá 2015!

feliz2015v2

Nesse ano que se inicia, assim como as famosas promessas de ano novo, não poderíamos deixar de compartilhar nossos votos de felicidade, sucesso e de muitas oportunidades para uma boa leitura!

E, caso você não tenha encontrado ainda aquela mensagem “supermotivacional” de fim de ano, gostaríamos de lembrar um pequeno texto que se tornou famoso aqui no Brasil quando lido na voz de Pedro Bial, mas que, na verdade é da autoria da colunista do Chicago Tribune, Mary Schmich:

Filtro Solar

Nunca deixem de usar filtro solar.
Se eu pudesse dar só uma dica sobre o futuro seria esta: use filtro solar.

Os benefícios a longo prazo do uso de filtro solar estão provados e comprovados pela ciência.

Já o resto de meus conselhos não tem outra base confiável além de minha própria experiência errante.

Mas agora eu vou compartilhar esses conselhos com vocês… Continue reading →

A História da Minha Vida – Helen Keller

hist_minha_vida

Título: A História da Minha Vida
Autor: Helen Keller
Tradução: Myriam Campello
Editora: José Olympio
Páginas: 455
ISBN: 978-85-03-00978-2

 

Ainda nesse mês de agosto (2014), chega mais uma resenha aqui no SPL para você leitor. O tempo anda meio escasso por essas bandas, assim, fazemos o que dá para manter alguma regularidade nas postagens.

Ok, antes de começar a falar sobre esse livro, eu preciso perguntar: caro leitor, você sabe quem foi Helen Keller?

Srta. Helen Keller

Srta. Helen Keller

Essa fantástica mulher foi a maior admiradora da palavra escrita que já viveu.

Exagero meu?

Garanto que não. Continue reading →

Senta Pra Ler no Bloglovin

 

Graças a sugestão de uma querida leitora e também blogueira (conheça o Cantinho da Esther) , o Senta pra Ler agora está no Bloglovin!

Mas, o que é o Bloglovin?

Simples: É um leitor de feed.

Ok, isso não esclareceu nada para você?

Eu explico.

Basicamente, o Bloglovin é um website voltado para que você acompanhe seus blogs favoritos de forma organizada.

Ele apresenta um layout bem clean e reúne em um único lugar as postagens de seus blogs favoritos .

Assim, ao seguir um blog através desse site, cada vez que esse blog tiver um post novo, esse post irá aparece na sua página do Bloglovin.

Dessa forma, você não precisa visitar um blog de cada vez (ou abrir umilhão de abas no seu navegador) para acessar o conteúdo que te interessa.

Então, se você ainda não conhece, dê uma passadinha por lá.

Aproveite e Siga o Senta pra Ler no Bloglovin!

6a00d8358081ff69e20168e77916c8970c-800wi

Senta para ler, rir e refletir

No dia 27 de junho de 2013, o Senta Pra Ler foi criado, mas foi apenas no dia 29 que o blog entrou em funcionamento para valer com sua primeira postagem.

Como a maioria dos posts que você encontra por aqui, e, fiel ao objetivo do blog, a primeira publicação tratou sucintamente de resenhar a obra de Alexandre Dumas, “Os Três Mosqueteiros”.

Sem grandes expectativas, João e Maria [ou seja, nós, os blogueiros], deram continuidade ao projeto, buscando a atingir uma meta de leitura, e, assim, aliar o prazer de ler um bom livro com o comprometimento de publicar suas opiniões em intervalos de tempo aceitáveis.

É claro que nem sempre as coisas saíram como o planejado: alguns livros foram abandonados ao longo do ano e outros os substituíram, mesmo que não fizessem parte da lista de leitura.

O fato é que dedicar tempo a esse hobby – tanto a leitura quanto às publicações no blog – tem sido ao mesmo tempo um grande desafio e uma grande alegria.

Aprendemos um pouco sobre as dificuldades de manter um blog. Continue reading →

A Culpa é das Estrelas – John Green

A Culpa é das Estrelas - capaTítulo: A Culpa é das Estrelas
Autor: John Green
Tradução: Renata Pettengill
Editora: Intrínseca
Páginas: 288
ISBN: 9788580572261

SinopseHazel é uma paciente terminal. Ainda que, por um milagre da medicina, seu tumor tenha encolhido bastante — o que lhe dá a promessa de viver mais alguns anos —, o último capítulo de sua história foi escrito no momento do diagnóstico. Mas em todo bom enredo há uma reviravolta, e a de Hazel se chama Augustus Waters, um garoto bonito que certo dia aparece no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Juntos, os dois vão preencher o pequeno infinito das páginas em branco de suas vidas.

infinitos

Hoje vou falar sobre um livro que eu acredito todo mundo já tenha lido: A Culpa é das Estrelas, de John Green.

O filme está prestes a estrear, então é melhor eu começar logo a tratar do assunto.

Antes de decidir ler John Green eu passei por um grande conflito interno. A capa sempre instigou minha curiosidade, mas eu não queria me render a esse grande sucesso de vendas.

Eu tinha certeza que seria um daqueles livrinhos adolescentes açucarados, à La Nicholas Sparks, que só iria me irritar.

Apesar disso, decidi manter a mente aberta e mergulhar na história. Continue reading →